Yellow Cake

yellow cake

Em desenvolvimento

Num futuro não muito distante o Brasil é tomado por uma devastadora doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Em meio à crise da saúde pública, o governo brasileiro aceita que o país seja cobaia de um experimento nuclear: o projeto YELLOW CAKE, desenvolvido por um conceituado cientista norte-americano. Picuí, sertão do Seridó, é o local escolhido para sediar o primeiro teste nuclear. A justificativa das autoridades é simples: o Nordeste é a região mais afetada pela doença. 

Rúbia Ribeiro, a mais renomada física nuclear brasileira, de aproximadamente 55 anos, é convocada como representante da Comissão Nacional Nuclear. Intrigada com a presença norte-americana em solo brasileiro, justo numa região famosa por sua riqueza mineral, Rúbia decide chegar ao sertão dias antes do previsto para se familiarizar com o local e coordenar a montagem do laboratório de Bill Raymond, idealizador do projeto Yellow Cake.

 

 

visão do diretor

O filme se destaca pelo roteiro original de ficção científica. Flertando com realismo fantástico e com uma narrativa bem-humorada o roteiro se desenvolve a partir de um acidente nuclear em uma pequena cidade do sertão nordestino. 

Através de uma aposta ousada de abordagem, Yellow Cake é um filme assumidamente de ficção científica, gênero este, pouco retratado na ficção brasileira. Acreditamos que o filme tem grande poder de comunicação com o público geral, de diversas camadas, pois além da abordagem não convencional, o filme traz uma narrativa original que contém humor e emoção, através de dramas pessoais, mistério e suspense.

tiago melo

DIRETOR E ROTEIRISTA

equipe

_

TIAGO MELO

Diretor e Roteirista

Tiago Melo é um dos profissionais mais atuantes do cinema brasileiro. Conta com 15 anos de dedicação ao cinema e soma diversos curtas e mais de 30 longas- metragens em sua filmografia. Tiago nasceu no Recife em 1984 e iniciou sua carreira artística no teatro em 1999. Em 2007 participou do curso “A Construção Dramática” na Escuela Internacional de Cine y Televisión em San Antonio de los Baños, Cuba. É produtor Associado do longa “Bacurau”, Prêmio do júri Festival de Cannes 2019 e “Boi Neon”, premiado no festival de Veneza. Também é Diretor de Produção de “Divino Amor” (Sundance e Berlim) de “Aquarius” de Kleber Mendonça Filho, seleção oficial de Cannes 2016 e do curta “Sem Coração”, ganhador do “Prix illy du court métrage” na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes em 2014. Como Diretor e Roteirista, Tiago assina o premiado curta-metragem “Urânio Picuí” (2012) e o seu primeiro longa metragem de ficção Azougue Nazaré. Vencedor de melhor filme na Bright Future Competition do festival de Rotterdam em 2018. Além de acumular mais de 20 prêmios e ter circulado por mais de 40 festivais internacionais.

LUCINDA PRODUÇÕES

Co-produção

Fundada por Leonardo Sette, a Lucinda Filmes vem se consolidando cada vez mais como uma produtora cinematográfica importante no Brasil. Seu título mais recente, Azougue Nazaré (2018), longa-metragem de estreia de Tiago Melo, saiu de Rotterdam com o prêmio de Melhor Filme da Bright Future Competition e engrenou uma carreira com passagem por grandes festivais: Cinélatino Toulouse (França), New Directors New Films (New York), Bafici (Buenos Aires), entre outros. Porcos Raivosos, dirigido por Isabel Penoni e Leonardo Sette, estreou na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 2012 e foi selecionado para inúmeros festivais ao redor do mundo, tendo recebido o prêmio de Melhor Fotografia no Glasgow Short Film Festival, entre outros. A produtora também fez a distribuição de As Hiper Mulheres, co-dirigido e montado por Leonardo Sette. A Lucinda Filmes é também uma produtora associada do longa-metragem Ventos de Agosto (Gabriel Mascaro, 2014), que estreou no Festival de Locarno. Ventos de Agosto foi exibido em mais de 30 festivais e recebeu o prêmio de Melhor Fotografia nos festivais de Amiens e Istanbul, entre outros prêmios.

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil

yellow cake

Em desenvolvimento

Num futuro não muito distante o Brasil é tomado por uma devastadora doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Em meio à crise da saúde pública, o governo brasileiro aceita que o país seja cobaia de um experimento nuclear: o projeto YELLOW CAKE, desenvolvido por um conceituado cientista norte-americano. Picuí, sertão do Seridó, é o local escolhido para sediar o primeiro teste nuclear. A justificativa das autoridades é simples: o Nordeste é a região mais afetada pela doença. 

Rúbia Ribeiro, a mais renomada física nuclear brasileira, de aproximadamente 55 anos, é convocada como representante da Comissão Nacional Nuclear. Intrigada com a presença norte-americana em solo brasileiro, justo numa região famosa por sua riqueza mineral, Rúbia decide chegar ao sertão dias antes do previsto para se familiarizar com o local e coordenar a montagem do laboratório de Bill Raymond, idealizador do projeto Yellow Cake.

 

 

visão do diretor

O filme se destaca pelo roteiro original de ficção científica. Flertando com realismo fantástico e com uma narrativa bem-humorada o roteiro se desenvolve a partir de um acidente nuclear em uma pequena cidade do sertão nordestino. 

Através de uma aposta ousada de abordagem, Yellow Cake é um filme assumidamente de ficção científica, gênero este, pouco retratado na ficção brasileira. Acreditamos que o filme tem grande poder de comunicação com o público geral, de diversas camadas, pois além da abordagem não convencional, o filme traz uma narrativa original que contém humor e emoção, através de dramas pessoais, mistério e suspense.

tiago melo

DIRETOR E ROTEIRISTA

equipe

_

TIAGO MELO

Diretor e Roteirista

Tiago Melo é um dos profissionais mais atuantes do cinema brasileiro. Conta com 15 anos de dedicação ao cinema e soma diversos curtas e mais de 30 longas- metragens em sua filmografia. Tiago nasceu no Recife em 1984 e iniciou sua carreira artística no teatro em 1999. Em 2007 participou do curso “A Construção Dramática” na Escuela Internacional de Cine y Televisión em San Antonio de los Baños, Cuba. É produtor Associado do longa “Bacurau”, Prêmio do júri Festival de Cannes 2019 e “Boi Neon”, premiado no festival de Veneza. Também é Diretor de Produção de “Divino Amor” (Sundance e Berlim) de “Aquarius” de Kleber Mendonça Filho, seleção oficial de Cannes 2016 e do curta “Sem Coração”, ganhador do “Prix illy du court métrage” na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes em 2014. Como Diretor e Roteirista, Tiago assina o premiado curta-metragem “Urânio Picuí” (2012) e o seu primeiro longa metragem de ficção Azougue Nazaré. Vencedor de melhor filme na Bright Future Competition do festival de Rotterdam em 2018. Além de acumular mais de 20 prêmios e ter circulado por mais de 40 festivais internacionais.

LUCINDA PRODUÇÕES

Co-produção

Fundada por Leonardo Sette, a Lucinda Filmes vem se consolidando cada vez mais como uma produtora cinematográfica importante no Brasil. Seu título mais recente, Azougue Nazaré (2018), longa-metragem de estreia de Tiago Melo, saiu de Rotterdam com o prêmio de Melhor Filme da Bright Future Competition e engrenou uma carreira com passagem por grandes festivais: Cinélatino Toulouse (França), New Directors New Films (New York), Bafici (Buenos Aires), entre outros. Porcos Raivosos, dirigido por Isabel Penoni e Leonardo Sette, estreou na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 2012 e foi selecionado para inúmeros festivais ao redor do mundo, tendo recebido o prêmio de Melhor Fotografia no Glasgow Short Film Festival, entre outros. A produtora também fez a distribuição de As Hiper Mulheres, co-dirigido e montado por Leonardo Sette. A Lucinda Filmes é também uma produtora associada do longa-metragem Ventos de Agosto (Gabriel Mascaro, 2014), que estreou no Festival de Locarno. Ventos de Agosto foi exibido em mais de 30 festivais e recebeu o prêmio de Melhor Fotografia nos festivais de Amiens e Istanbul, entre outros prêmios.

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil

yellow cake

Em desenvolvimento

Num futuro não muito distante o Brasil é tomado por uma devastadora doença transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti. Em meio à crise da saúde pública, o governo brasileiro aceita que o país seja cobaia de um experimento nuclear: o projeto YELLOW CAKE, desenvolvido por um conceituado cientista norte-americano. Picuí, sertão do Seridó, é o local escolhido para sediar o primeiro teste nuclear. A justificativa das autoridades é simples: o Nordeste é a região mais afetada pela doença. 

Rúbia Ribeiro, a mais renomada física nuclear brasileira, de aproximadamente 55 anos, é convocada como representante da Comissão Nacional Nuclear. Intrigada com a presença norte-americana em solo brasileiro, justo numa região famosa por sua riqueza mineral, Rúbia decide chegar ao sertão dias antes do previsto para se familiarizar com o local e coordenar a montagem do laboratório de Bill Raymond, idealizador do projeto Yellow Cake.

 

 

visão do diretor

O filme se destaca pelo roteiro original de ficção científica. Flertando com realismo fantástico e com uma narrativa bem-humorada o roteiro se desenvolve a partir de um acidente nuclear em uma pequena cidade do sertão nordestino. 

Através de uma aposta ousada de abordagem, Yellow Cake é um filme assumidamente de ficção científica, gênero este, pouco retratado na ficção brasileira. Acreditamos que o filme tem grande poder de comunicação com o público geral, de diversas camadas, pois além da abordagem não convencional, o filme traz uma narrativa original que contém humor e emoção, através de dramas pessoais, mistério e suspense.

tiago melo

DIRETOR E ROTEIRISTA

equipe

_

TIAGO MELO

Diretor e Roteirista

Tiago Melo é um dos profissionais mais atuantes do cinema brasileiro. Conta com 15 anos de dedicação ao cinema e soma diversos curtas e mais de 30 longas- metragens em sua filmografia. Tiago nasceu no Recife em 1984 e iniciou sua carreira artística no teatro em 1999. Em 2007 participou do curso “A Construção Dramática” na Escuela Internacional de Cine y Televisión em San Antonio de los Baños, Cuba. É produtor Associado do longa “Bacurau”, Prêmio do júri Festival de Cannes 2019 e “Boi Neon”, premiado no festival de Veneza. Também é Diretor de Produção de “Divino Amor” (Sundance e Berlim) de “Aquarius” de Kleber Mendonça Filho, seleção oficial de Cannes 2016 e do curta “Sem Coração”, ganhador do “Prix illy du court métrage” na Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes em 2014. Como Diretor e Roteirista, Tiago assina o premiado curta-metragem “Urânio Picuí” (2012) e o seu primeiro longa metragem de ficção Azougue Nazaré. Vencedor de melhor filme na Bright Future Competition do festival de Rotterdam em 2018. Além de acumular mais de 20 prêmios e ter circulado por mais de 40 festivais internacionais.

LUCINDA PRODUÇÕES

Co-produção

Fundada por Leonardo Sette, a Lucinda Filmes vem se consolidando cada vez mais como uma produtora cinematográfica importante no Brasil. Seu título mais recente, Azougue Nazaré (2018), longa-metragem de estreia de Tiago Melo, saiu de Rotterdam com o prêmio de Melhor Filme da Bright Future Competition e engrenou uma carreira com passagem por grandes festivais: Cinélatino Toulouse (França), New Directors New Films (New York), Bafici (Buenos Aires), entre outros. Porcos Raivosos, dirigido por Isabel Penoni e Leonardo Sette, estreou na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 2012 e foi selecionado para inúmeros festivais ao redor do mundo, tendo recebido o prêmio de Melhor Fotografia no Glasgow Short Film Festival, entre outros. A produtora também fez a distribuição de As Hiper Mulheres, co-dirigido e montado por Leonardo Sette. A Lucinda Filmes é também uma produtora associada do longa-metragem Ventos de Agosto (Gabriel Mascaro, 2014), que estreou no Festival de Locarno. Ventos de Agosto foi exibido em mais de 30 festivais e recebeu o prêmio de Melhor Fotografia nos festivais de Amiens e Istanbul, entre outros prêmios.

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil