Gyuri

gyuri

Em fase de distribuição

Gyuri traça uma linha geopolítica entre uma aldeia húngara e a Terra Indígena Yanomami na Amazônia através da história de vida de Claudia Andujar. Sobrevivente da segunda guerra mundial, Claudia perdeu toda sua família em campo de concentração nazista. Exilada no Brasil, dedicou sua vida à salvaguarda dos povos Yanomami. Fez isso ao produzir um valioso acervo iconográfico sobre a etnia, o que faz dela uma das mais importantes artistas contemporâneas do mundo.

Direção e roteiro: Mariana Lacerda

Produção: Bebinho Salgado 45  e Jaraguá Produções

Direção de fotografia e câmera: Pio Figueiroa (São Paulo) e Marcelo Lacerda (Amazônia)

Som Direto: Gustavo Fioravante

Montagem: Paula Mercedes

Roteiro: Mariana Lacerda e Paula Mercedes

Design de som e Trilha Sonora: O Grivo

Edição de som e mixagem de som: O Grivo

Incentivo:

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE)

Agência Nacional do Cinema (ANCINE) 

Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) 

&

Funcultura

FUNDARPE

Secretaria de Cultura

Governo do Estado de Pernambuco

 

Apoio:

Lei de Incentivo à Cultura

Rumos Itaú Cultural

Gyuri é em si, também, um retrato da passagem do tempo, de uma relação de acolhimento mútuo construída por muitos anos. Passagem que é expressa nas histórias do passado, nas viagens, nos corpos marcados pelo tempo e pela luta. E as fotografias, que deram visibilidade à causa yanomami, aqui ganham novo sentido para uma memória muito íntima. Carregam uma poética muito potente sobre as forças desses encontros improváveis.
André Santa Rosa
Diario de Pernambuco
Gyuri mostra tentativa de entender um mundo que se apresenta sempre hostil e de sobreviver em meio a destruição.
Inácio Araujo
Folha de São Paulo

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil

gyuri

Em fase de distribuição

Gyuri traça uma linha geopolítica entre uma aldeia húngara e a Terra Indígena Yanomami na Amazônia através da história de vida de Claudia Andujar. Sobrevivente da segunda guerra mundial, Claudia perdeu toda sua família em campo de concentração nazista. Exilada no Brasil, dedicou sua vida à salvaguarda dos povos Yanomami. Fez isso ao produzir um valioso acervo iconográfico sobre a etnia, o que faz dela uma das mais importantes artistas contemporâneas do mundo.

Direção e roteiro: Mariana Lacerda

Produção: Bebinho Salgado 45  e Jaraguá Produções

Direção de fotografia e câmera: Pio Figueiroa (São Paulo) e Marcelo Lacerda (Amazônia)

Som Direto: Gustavo Fioravante

Montagem: Paula Mercedes

Roteiro: Mariana Lacerda e Paula Mercedes

Design de som e Trilha Sonora: O Grivo

Edição de som e mixagem de som: O Grivo

Incentivo:

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE)

Agência Nacional do Cinema (ANCINE) 

Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) 

&

Funcultura

FUNDARPE

Secretaria de Cultura

Governo do Estado de Pernambuco

 

Apoio:

Lei de Incentivo à Cultura

Rumos Itaú Cultural

Gyuri é em si, também, um retrato da passagem do tempo, de uma relação de acolhimento mútuo construída por muitos anos. Passagem que é expressa nas histórias do passado, nas viagens, nos corpos marcados pelo tempo e pela luta. E as fotografias, que deram visibilidade à causa yanomami, aqui ganham novo sentido para uma memória muito íntima. Carregam uma poética muito potente sobre as forças desses encontros improváveis.
André Santa Rosa
Diario de Pernambuco
Gyuri mostra tentativa de entender um mundo que se apresenta sempre hostil e de sobreviver em meio a destruição.
Inácio Araujo
Folha de São Paulo

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil

gyuri

Em fase de distribuição

Gyuri traça uma linha geopolítica entre uma aldeia húngara e a Terra Indígena Yanomami na Amazônia através da história de vida de Claudia Andujar. Sobrevivente da segunda guerra mundial, Claudia perdeu toda sua família em campo de concentração nazista. Exilada no Brasil, dedicou sua vida à salvaguarda dos povos Yanomami. Fez isso ao produzir um valioso acervo iconográfico sobre a etnia, o que faz dela uma das mais importantes artistas contemporâneas do mundo.

Direção e roteiro: Mariana Lacerda

Produção: Bebinho Salgado 45  e Jaraguá Produções

Direção de fotografia e câmera: Pio Figueiroa (São Paulo) e Marcelo Lacerda (Amazônia)

Som Direto: Gustavo Fioravante

Montagem: Paula Mercedes

Roteiro: Mariana Lacerda e Paula Mercedes

Design de som e Trilha Sonora: O Grivo

Edição de som e mixagem de som: O Grivo

Incentivo:

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE)

Agência Nacional do Cinema (ANCINE) 

Fundo Setorial de Audiovisual (FSA) 

&

Funcultura

FUNDARPE

Secretaria de Cultura

Governo do Estado de Pernambuco

 

Apoio:

Lei de Incentivo à Cultura

Rumos Itaú Cultural

Gyuri é em si, também, um retrato da passagem do tempo, de uma relação de acolhimento mútuo construída por muitos anos. Passagem que é expressa nas histórias do passado, nas viagens, nos corpos marcados pelo tempo e pela luta. E as fotografias, que deram visibilidade à causa yanomami, aqui ganham novo sentido para uma memória muito íntima. Carregam uma poética muito potente sobre as forças desses encontros improváveis.
André Santa Rosa
Diario de Pernambuco
Gyuri mostra tentativa de entender um mundo que se apresenta sempre hostil e de sobreviver em meio a destruição.
Inácio Araujo
Folha de São Paulo

© 2021 Jaraguá Produções

Recife/PE - Brasil